Multipessoal

Como responder aos emails que nos tiram do sério

Como responder aos emails que nos tiram do sério

Às vezes bastam minutos ou até menos. Alguns segundos são suficientes para sentir a raiva inerente a leitura de alguns emails que, sendo do âmbito profissional, nos conseguem suscitar reações pouco profissionais. Sejam pedidos sem sentido, decisões precipitadas e mal pensadas de clientes ou superiores hierárquicos, raspanetes nada merecidos ou mensagens num tom passivo-agressivo que nos irritam e motivam o desejo de escrever uma resposta à altura. É nestes momentos que tem de parar, respirar fundo e evitar a precipitação de um reply que pode custar caro. Drew Dudley é um canadiano especialista em liderança, autor de livros sobre o tema e conhecedor deste tipo de mensagens. Sobre elas já fez várias palestras, debates e conferências, e é com base na sua sabedoria que aqui deixamos a resposta certa para aqueles emails que nos tiram do sério.

A próxima vez que lhe entrar algo do género na caixa de email comece por abrir um novo documento, que pode ser no word, mas num ambiente protegido. Ou seja, crie uma pasta secreta, protegida por uma password, arquivada numa USB que ninguém conhece, onde pode dar largas ao seu desagrado e escrever tudo aquilo que deseja dizer a quem lhe está a testar a paciência. 

Depois, só tem de dar largas ao desabafo, através de palavras, escrevendo o que lhe vai na alma, dizendo tudo aquilo que gostaria, mas que o receio de represálias o impedem de fazer. Pode responder ao colega que falhou nos prazos, deixando nas suas costas o trabalho, tudo aquilo que ele deveria ser mas não é; ao chefe, que lhe deu uma tarefa impossível, o que fazer com ela; ao cliente, que o acusa de incompetência como forma de esconder os seus fracassos, o quão incompetente, de facto, ele é. Tudo isto livre de riscos.

Quando toda a raiva, irritação e por aí fora estiverem representadas nesse documento, volte novamente a respirar fundo. Neste momento, o peso sentido já terá saído dos seus ombros, dando lugar ao alívio. Resta apenas criar uma pasta com o nome “Isto é o que poderia ter acontecido” e fazer uma pausa no trabalho para, aconselha Dudley, ouvir uma música, que ajuda a desanuviar e proporciona bem-estar mental.

De volta ao computador, não encerre o assunto sem antes reler alguns dos documentos contidos nessa pasta ou aquele que acabou de redigir. E pense que o facto de não ter sido esse o caminho escolhido, ou seja, de não ter enviado a mensagem, evitou que queimasse contactos ou até mesmo perdesse o emprego, uma vez que uma resposta precipitada pode ter este resultado. 

Posto isto, chegou a hora de responder, agora a sério e de forma clara, sem pretensões de querer ser ‘vencer’ a batalha. Porque, no fundo, já venceu.

Multipessoal Blog

Blog oficial do Grupo Multipessoal, o blog sobre carreira, recursos humanos e emprego que eleva a sua carreira e o seu potencial.

Sem comentários:

Enviar um comentário