Multipessoal

Os empregos que as mulheres ainda não podem exercer




Os empregos que as mulheres ainda não podem exercer


Conduzir um comboio, transportar bens ou trabalhar debaixo de água são tarefas que as mulheres na Rússia, Malásia ou Bangladesh, respetivamente, não realizam. Não por opção, mas por força de uma lei que, indiferente à igualdade do gênero, continua a dividir homens e mulheres, não só em relação aos salários que auferem - os deles mais altos do que os delas -, mas também no que diz respeito às atividades realizadas. Tanto que, no mundo, há ainda 2,7 mil milhões de mulheres legalmente impedidas de ter as mesmas opções profissionais que os homens.

De acordo com os dados do Banco Mundial, são 104 os países onde as mulheres não podem, de acordo com a lei, ter determinados empregos. Em alguns casos, a justificação prende-se com a segurança feminina, alegando-se que, tal como as crianças, também elas precisam de ser protegidas.

É isso que justifica o facto de não poderem trabalhar em áreas fisicamente mais exigentes, como a construção civil, as minas ou a manufatura. E é também por isso que, no Bahrain, as mulheres não podem trabalhar no setor da eletricidade durante o período noturno ou, em Angola, não podem trabalhar na produção de petróleo. De resto, Espanha, aqui mesmo ao lado, apenas levantou algumas restrições neste campo recentemente, em 1995.

Noutros países, é a moral e os bons costumes que falam mais alto, impedindo que as mulheres estejam na rua durante a noite, o que limita, uma vez mais, as atividades a desempenhar.

Depois, há ainda aquelas nações que consideram que o lugar da mulher é em casa, a cuidar do lar e dos filhos, impedindo, por exemplo, que possam ser detentoras de um negócio (há quatro países onde isto atualmente acontece) ou colocando nas mãos dos maridos a decisão sobre um eventual emprego (há 18 onde eles ainda as podem impedir de trabalhar).

O relatório ‘Women, Business and The Law 2018’ dá ainda a conhecer outro grupo de países, aqueles que em vez de progredirem no caminho da igualdade do gênero, dão passos atrás. É o caso, por exemplo, do Vietname que, em 2013, decidiu impedir as mulheres de conduzir tratores com mais de 50 cavalos de potência.

Multipessoal Blog

Blog oficial do Grupo Multipessoal, o blog sobre carreira, recursos humanos e emprego que eleva a sua carreira e o seu potencial.

Sem comentários:

Enviar um comentário